Novas Comunidades: Primavera da Igreja

"As Novas Comunidades têm assumido,com especial atenção,a evangelização,enfatizando o anúncio,a conversão,a experiência pessoal de fé".(Subsídio 3 da CNBB,30)


Deixe um comentário

Novas Comunidades: O que são?

As Novas Comunidades são reconhecidas pela Igreja como um dos instrumentos importantes enviados por Deus para o anúncio de Sua Palavra, testemunhando a veracidade do Evangelho com seu estilo de vida. “Cada uma das comunidades faz uma experiência de fraternidade, uma contribuição reconhecida pela Igreja para que a Boa Nova do Evangelho seja não só anunciada, mas vivenciada”, diz Dom Alberto Taveira. 

Assim, o Congresso Sul Americano das Novas Comunidades tem como objetivo reunir as várias comunidades que surgem no mundo inteiro, bem como unir os diferentes carismas, suas experiências de fraternidade e evangelização. As Novas Comunidades são verdadeiros canais privilegiados para a formação e promoção dos fiéis católicos, que se tornam mais ativos e conscientes do seu papel na Igreja e no mundo. Elas se inserem com fidelidade na vida das Igrejas locais, sendo fermento, sal e luz, correspondendo às necessidades da nova evangelização. Dessa forma, pessoas de todas as idades, classes sociais, solteiras ou casadas podem ser envolvidas por essa experiência eclesial.No decurso dos séculos, o Espírito sempre suscitou na Igreja realidades novas que servem como uma resposta aos desafios da Igreja no seu tempo. Podemos ver isso desde o surgimento das comunidades cristãs já relatadas no Livro dos Atos dos Apóstolos, mas também no monaquismo nos séculos III e IV, bem como no movimento mendicante no século XIII, nas congregações missionárias nos séculos XV e XVI, nas congregações voltadas para a caridade nos séculos XVII e XVIII e nos institutos seculares nos século XIX e XX.

Na modernidade, os ares do Concílio Vaticano II (1962-1965) favoreceram o surgimento de “novas formas de vida evangélica”, dentre elas, osMovimentos Eclesiais e as Comunidades Novasou podemos chamar de Novas Comunidades.

As Novas Comunidades começaram a surgir na década de 1970 na França e nos EUA, tornando-se um fenômeno mundial. No Brasil, as primeirasComunidades Novas surgem na década de 80 e, na década de 90, vê-se o surgimento de inúmeras Novas Comunidades que hoje no Brasil superam o número de 500.

O Concílio pedia uma Igreja inserida no mundo, capaz de atraí-lo para Cristo e de dar respostas aos desafios de seu tempo. O Papa João Paulo II, na memorável Vigília de Pentecostes de 1998, chamou os Movimentos Eclesiais e as Novas Comunidades de “providencial resposta do Espírito”. Isso porque, através das Novas Comunidadese Movimentos Eclesiais, leigos que se consagram a Deus a partir de um carismae, sob o dom e a radicalidade desse carisma, vivem o seu Batismo de forma autêntica num mundo dilacerado pelo secularismo.

Observo nas Comunidades Novas duas originalidades eclesiais:

– A primeira consiste freqüentemente no fato de se tratar de grupos compostos por homens e mulheres, por clérigos e leigos, por casados, celibatários e solteiros que vivem em comunidade, seguem um estilo particular de vida sob a graça e espiritualidade de um carisma particular.

– Outra originalidade é a consagração de leigos, inclusive casais, no serviço do Reino. Embora isso não seja exatamente novo na Igreja – vejam-se as ordens terceiras, os oblatos beneditinos – mas a consciência de uma consagração de vida, que inclua pessoas casadas, que inclusive fazem vínculos (promessas, compromissos etc.) de obediência, pobreza e castidade, é, sim, uma originalidade na Igreja.

Assim, as Comunidades Novas são uma novidade do Espírito na Igreja de Jesus Cristo e que por ela têm sido acolhidas, através de seu Magistério, como uma esperança para a Igreja³.

O Documento de Aparecida dedica um sub-capítulo aos Movimentos Eclesiais e Comunidades Novas, que começa dizendo: “Os novos movimentos e comunidades são um dom do Espírito Santo para a Igreja. Neles, os fiéis encontram a possibilidade de se formar na fé cristã, crescer e se comprometer apostolicamente até ser verdadeiros discípulos missionários.”

As Novas Comunidades, quase sempre surgidas da Renovação Carismática Católica, trazem em si algumas características:

Carisma próprio bem definido;

- Amor e reverência filial à Igreja através da obediência ao Papa e Bispos e da fidelidade à doutrina católica;

- Forte missionaridade sob o impulso da nova evangelização;

- Vivência comunitária sob duas formas: comunidade de aliança e comunidade de vida;

- Chamado específico de pobreza e abandono na Providência Divina;

- Governo comum e organizado, vivido sob a graça da obediência;

- Presença de todos os estados e realidades de vida: homens e mulheres, clérigos e leigos, casados, celibatários e solteiros;

- Intenso apelo à vivência moral segundo o Magistério da Igreja, inclusive confirmado por vínculo de castidade segundo o estado de vida;

- Vida de oração intensa, tanto pessoal como comunitária.

_____________________________________________

Notas

1. Exortação Apostólica Pós-Sinodal Vita Consecrata (1996), n. 62.

2. Exceção se faz à Comunidade Canção Nova, que começou em 1978.

3. Nas mensagens do Papa Bento XVI e nos pronunciamentos do Cardeal Stanislaw Rylko, Prefeito do Pontifício Conselho Para os Leigos, nos encontros da Catholic Fraternity, as Comunidades Novas têm sido chamadas de “Esperança da Igreja”.

4. Documento de Aparecida (2007), n. 311

As Comuniddaes de Vida e Aliança prestam muitos serviços, mas não é o mote fundamental delas. O ponto fundamental é o carisma, é a forma de vida que Deus as cahamou a viver. tem Comunidades que o ponto fundamental delas é o serviço. Elas nascem em vista de um serviço. Elas se organizam, tem compromisso de ordem espiritual, fraterna e apostólica em vista do serviço. Elas podem estar dentro da própria estrutura da RCC como comunidade de serviço, se ela não tem um carisma próprio, mas estão a serviço da estrutura. Isso se não possuem um carsima, pois as vezes, podem ter um carisma, mesmo se aplicando em um só serviço.

A Comunidade de vida e de Aliança não é um estágio dentro da vida do grupo de oração ou da vida de Comunidade. Há Comunidades de Renovação e grupos de oração que serão sempre grupos de  oração e Comunidades de Renovação, porque este é o designio de Deus a seu respeito. Uma Comunidade de vida e Aliança não é status, não é um passo a mais no grupo de oração. Tudo depende do designio de Deus, da Sua vontade. Uma Comunidade nova não nasce de uma motivação humana, não é uma iniciativa nossa, não é um acordo entre amigos em vista de um trabalho que precisa ser feito. Não! É uma iniciativa Divina. Deus vai mexendo em nosso coração, a nos inquietar, a nos chamar e a nos inspirar. Isso só nasce em um coração, ou em corações que escuta a Deus. O caminho é a vida de oração, de intimidade  com Deus. Escutar a Deus para que seja gerada a Comunidade de Deus e não a minha Comunidade. O projeto de Deus, exige grandes renúncias. A Comunidade existe para Deus, por isso devemos examinar muito as nossas motivações. Queremos fundar uma Comunidade de Vida e Aliança ou por que todo mundo já tem  e também precisamos ter uma? Ela é para maior gória de Deus, ou é por orgulho e vaidade? É por status? Para que o bispo veja?

Devemos perguntar, na fundação de uma Comunidade: Por que e para que que esta Comunidade está sendo gerada? E por que Deus está dando um carisma? Para o bem da igreja e para o bem do mundo? É para maior glória de Deus? Ou tudo se desenvolve para objetivos mesquinhos, motivações  ou planos humanos, baseado no orgulho, na inveja, na vaidade, na disputa e nos partidos? É muito importante que posamos purificar as nossas intenções nas fundações da Comunidade. Há muitas Comunidades que não nasce da inspiração de Deus; são geradas da vontade humana. Com aoutras acontecem o chamado, mas por se colocarem em atitude de discernimento, precipitam-se e acabam por fazer cópias de outras que já existem. Por não saberem como executar a inspiração de Deus. Logo, cria a Comunidade que se pensa e não a que Deus quer.

Uma Outra característica de uma Comunidade de Vida e Aliança que está surgindo é a sua originalidade, por que como é Dom de Deus, os dons são sempre originais. São originais em si mesmas, são criativas; tem pontos em comum com outras Comunidades, mas não podem ser cópias da outra.

Como está dentro da graça da Renovação, essas Comunidades Novas traz dentro dela elementos da graça da Renovação, como exercícios dos Carismas, Seminário de Vida no Espírito Santo, porém agreagado à sua forma própria de realizar e de viver o seu carisma e de realizar a sua missão. Existem  Comunidades que se dizem Carismáticas, mas não exercem os carismas, não vivem a experiência do Batismo no Espírito Santo, não tem esta experiência do poder e das características próprias da graça da Renovação Carismática. Estas Comunidades podem até ser Comunidades Novas dentro da igreja, mas elas não são Comunidades Carismáticas por que um dos pontos indispensáveis para reconhecer uma Comunidade Carismática é que dentro da espiritualidade, dentro de seu carisma , da sua graça própria traga também os elementos da graça da Renovação como o Batismo no Espírito Santo, os carismas e outros elementos. Portanto, o caminho para discernir este apelo interior de Comunidade de Vida e Aliança é a ORAÇÃO. VIDA DE PROFUNDA INTIMIDADE COM DEUS.

 

CARACTERÍSTICA DE UMA COMUNIDADE NOVA

01 – Composta de homens e mulheres, clérigos e leigos, casados e solteiros;

02 – Possuem um estilo particular de vida em comum ou com intenso compromisso de vida entre

seus membros;

03 – Desejam intensamente uma vida comunitária, expressam isso em comunidade de vida ou

Comunidade de Aliança;

04 – Forte compromisso com a oração e com uma vida interior comprometida;

O que as Novas Comunidades devem ser para o Povo? Mais ainda, o que são as Novas Comunidades? Segundo o fundador da Comunidade Shalom, Moysés Azevedo, elas são formadas por pessoas que descobriram seu Batismo e nele encontraram o seu carisma particular, a sua forma de viver o Evangelho e seguir plenamente a Cristo, ser Igreja.

“Devemos saber que somos constituídos por Deus a serviço do Seu Povo, aquele em cuja vida vamos concretizar, provar nosso amor por Deus”, afirma.

Ele acredita que um dos maiores dons destas comunidades é o de se colocar a serviço. “As Novas Comunidades não são um clube, não vivem para si mesmo. São um dom e uma missão em favor dos outros. Nosso papel é consumir e doar, sacrificar a nossa vida em favor deste povo, para que ele possa, nos olhando, ver os olhos de Cristo; nos ouvindo, ouvir a Palavra de Cristo e da Igreja. E que possam, no amor e no acolhimento, se sentirem amados e acolhidos por Cristo e a própria Igreja”.

E é exatamente esse um dos grandes desafios dos tempos atuais, segundo Moysés: fazer o povo se sentir acolhido e amado. Nesse sentido, as NC precisam oferecer o alimento necessário da sã doutrina, da evangelização fundamental, da boa formação cristã, católica, para que se possa formar homens e mulheres que façam a diferença neste mundo.

Dicas

Para as comunidades que começam a se estruturar, Moysés recorda que é preciso ter consciência de que a Obra não é humana, mas de Deus. “Às vezes, corremos o risco de querer fazer tudo com nossas próprias mãos”.

Ele oferece duas dicas fundamentais:

1 – Deus tem um projeto, uma promessa divina, e às vezes se quer realizar de modo humano. É preciso lembrar que, se a comunidade é autêntica, deve ser um projeto de Deus. É o espírito de escuta e obediência à vontade de Deus que sela essa autenticidade;

2 – “Não comecem pelo telhado”. Moysés cita que há comunidades que mal começaram a dar os primeiros passos e já têm grandes estruturas. Em primeiro lugar, o carisma precisa ser acolhido, compreendido e entendido para ir se institucionalizando, não começar pelo contrário, com regras e estatutos antes mesmo de a Comunidade existir concretamente. “É Deus quem precisa estar no comando e condução”, afirma.

Congresso

Foi realizado de 03 a 05 de junho o IX Congresso da Fraternidade Católica das Novas Comunidades(FRATER) Regional Brasil. O encontro aconteceu em Fortaleza (CE), na Comunidade Face de Cristo. A Comunidade Rahamim marcou presença no encontro.

“Temos a tradição de os encontros serem itinerantes e de uma comunidade acolher a outra. Não é simplesmente a cidade que acolhe, mas a comunidade, com seu carisma, para fazer esse trabalho de partilha, comunhão, edificação mútua”, diz o fundador da Shalom.

Moysés ressalta que o Congresso é um momento de grande graça, onde sela-se o espírito de comunhão que enriquece e frutifica a todos. “Os carismas não competem entre si, mas se completam em favor da Igreja e da humanidade. Isso temos presente muito dentro do nosso coração”, salienta.

As comunidades novas baseiam-se em novas inspirações adaptadas dos institutos de Vida Consagrada da Igreja Católica, tendo como grande diferencial a Vida Comunitária ser formada por Sacerdotes e leigos, homens e mulheres em uma mesma Comunidade devidamente dividida mais trabalhando junto em prol da Evangelização ou Promoção da Dignidade Humana.

Tais formas de vida comunitária em vista da Evangelização existem desde o fim do século XX, se expandindo pelo mundo todo em diversas novas comunidades, e ainda hoje aguardam um futuro enquadramento canônico enquanto são muito bem vistos pela hierarquia católica, sob a qual existem em esforçado serviço e auxílio. É formada por leigos e padres engajados como um passo a mais em seus engajados projetos de evangelizaçãodiocesanos oriundos comumente da Renovação Carismática Católica.

Devido a essa sua origem também são conhecidas por Comunidades Carismáticas, e teve seu apogeu na convocação feita por sua Santidade oPapa João Paulo II em 1998, no Vaticano onde reunindo-se com milhares de Comunidades do Mundo Inteiro reconheceu sua existência e lhes deu o grande impulso motivador na Igreja.


Deixe um comentário

Novas Comunidades: Escolas de Santidade e de Formação

“Acontecerá,no fim dos tempos,que a montanha da casa do Senhor será estabelecida no ápice das montanhas,e será mais elevada que todos os outeiros.Os povos afluirão para ela,numerosas nações ali virão,dizendo: Vinde,subamos à montanha do Senhor,à casa do Deus de Jacó.Ele nos ensinará os seus caminhos,e andaremos por suas veredas”.(Mq 4,1-2).

As Novas Comunidades são praticamente chamadas de Escolas de Santidade e de Formação.Cabe a cada um de nós experimentarmos de fato,um caminho triunfante nessa escola,a cada um de nós tornamos um exemplo de vida fraterna na comunidade de vida e de aliança,onde os leigos porém “tem a missão de testemunhar o Evangelho com a própria vida.Mas Deus percorre,com cada pessoa,um caminho próprio”.(cf.YOUCAT 138).

Todo leigo que sente o chamando à santidade,pode-se também entrar em processo de formação dentro da comunidade nova para um caminho da perfeição de vida consagrada,testemunhando que de fato,apresenta um sentido próximo ao chamado de Deus,em nossas vidas.O contexto das Novas Comunidades se tornarem Escolas de Santidade e de formação,traga para nós os leigos um caminho de que “A Comunidade é,então,sinal da fé teologal: a fé acolhida é dom acreditado,não há razões humanas que possam explicar de forma perfeita a vida fraterna”(cf.Magno Fernando,Capítulo O Dom da Vida Fraterna como sinal da Trindade,livro Novas Comunidades: Primavera da Igreja,p.66).

Nesse aspecto,as Novas Comunidades,são um sinal de uma ampla formação transformando a vida de todos aqueles que necessitam alcançar a santidade e levar no coração uma plenitude completa de que “Todos vós,sóis irmãos” (cf.Mt 23,8),o caminho da santidade é estar perto de Deus caminhando profundamente na missão e da ação evangelizadora da Igreja,segundo o Documento de Aparecida,que nos indica alguns passos para a nossa formação é preciso compreender que “Para aproveitar melhor os carismas e serviços dos movimentos eclesiais no campo da formação dos leigos,


2 Comentários

Mensagem em Ocasião para o Dia da Vida Consagrada Solenidade da Apresentação do Senhor

                           

         MENSAGEM EM OCASIÃO PELO DIA NACIONAL DA VIDA CONSAGRADA

                               “Vem alegrar-te com o teu Senhor!” (Mt 25,21.23).

Caríssimos irmãos e irmãs

Em ocasião dessa mensagem dedicada ao Dia da Vida Consagrada,celebrada na Solenidade da Apresentação do Senhor,no dia 02 de fevereiro,pude destacar essa passagem bíblica narrada no Evangelho de São Mateus,sobre a Parábola dos talentos (cf.Mt 25,14-30).A passagem bíblica que estamos refletindo nesse ano de 2014,na Solenidade da Apresentação do Senhor,na celebração do dia a vida consagrada,temos a alegria de termos em nossas mãos,a Exortação Apostólica do Papa Francisco a Evangelii Gaudium (A Alegria do Evangelho).

Tudo isso,indica que o Papa Francisco,inspirou esse tema da sua primeira Exortação Apostólica que foi fruto da XIII Assembléia Geral do Sínodo dos Bispos,em 2012,com o tema “A Nova Evangelização para a Transmissão da Fé Cristã”,entretanto tivemos também a abertura do Ano da Fé,convocados pelo Papa Emérito Bento XVI,em ocasião dos cinquenta anos de abertura do Concílio Vaticano II e dos 20 anos da publicação do Catecismo da Igreja Católica.Na Carta Apostólica Porta Fidei,Bento XVI,acrescentou que “Na medida da sua livre disponibilidade,os pensamentos e os afetos,a mentalidade e o comportamento do homem vão sendo pouco a pouco purificados e transformados,ao longo de um itinerário jamais completamente terminada nessa vida”.(cf.Bento XVI,Porta Fidei n.6).

Portanto,eis aqui alguns elementos que o Papa Francisco na Exortação Apostólica Evangelii Gaudium,proporciona para nós nesse tempo de renovação da Igreja.Um aspecto fundamental para a nossa vida cristã:

1- A Alegria do Evangelho: O Papa Francisco afirma que a Alegria do Evangelho “enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus”.(EG 1).Ao ler o texto da Exortação,a dinâmica que o Papa Francisco pede é que todos se enchem de alegria compreender o anúncio da Palavra de Deus,é preciso que todos façam uma experiência de fé e experimentar o ardor missionário de anunciar o Evangelho a todas as pessoas (cf.Mc 16,15).Porém Paulo VI,na Evangelii Nuntiandi ele diz:Evangelizar,para a Igreja,é levar a Boa Nova a todas as parcelas da humanidade,em qualquer meio e latitude,e pelo seu fluxo transformà-las a partir de dentro e tornar nova a própria humanidade:”Eis que faço de novo todas as coisas”.No entanto,não haverá humanidade nova,se não houver em primeiro lugar homens novos,pela novidade do Batismo e da vida segundo o Evangelho”.(EN 18).

2-O Mandato Missionário na Igreja: “A evangelização obedece ao mandato missionário de Jesus: “Ide,pois,fazei discípulos de todos os povos,batizando-os em nome do Pai,do Filho e do Espírito Santo,ensinando-os a cumprir tudo quanto vos tenho mandado” (Mt 28,19-20).Nestes versículos,aparece o momento em que o Ressuscitado envia os seus a pregar o Evangelho em todos os tempos e lugares,para que a fé n´Ele se estenda a todos os cantos da Terra”.(EG 19).O mandato missionário de Jesus,fortalece em nós a alegria de viver o anúncio do Evangelho e trazendo para conosco a experiência de pregar a Palavra de Deus entre todos os povos e nações,renovando cada vez mais a sua missão na Igreja.”O anúncio tem a plenitude permanente,na missão: a Igreja não pode esquivar-se ao mandato explícito de Cristo,não pode privar os homens da Boa Nova de que Deus ama e salva.A evangelização conterá sempre como base,centro e,ao mesmo tempo,vértice do seu dinamismo uma proclamação clara de que,em Jesus Cristo a salvação é oferecida a cada homem,como dom de graça e de misericórdia do próprio Deus”.(Encíclica Redemptoris Missio 44).

Por fim,a nossa alegria de viver o anúncio do Evangelho,torna os nossos corações paralelamente fundamentais para a nossa vida de expressarmos a nossa fé,trazendo consigo o amor de Deus para cada um de seus filhos,renovando a Igreja promovendo o bem a todos é preciso que todos nós entrarmos por um caminho mais forte na evangelização,pois é preciso que a Igreja se torne cada vez mais ampla na evangelização,por isso,o Papa Francisco na Encíclica Lumen Fidei,ele nos explica que “A fé transforma a pessoa inteira,precisamente na medida em que ela se abre ao amor;é neste entrelaçamento da fé com o amor que se compreende a forma de conhecimento da própria fé,a sua força de convicção,a sua capacidade de iluminar os nossos passos”.(Lumen Fidei 26).O Papa Emérito Bento XVI,dizia em uma de suas catequeses sobre o Ano da Fé aplicando todo esse contexto espiritual da fé cristã:“A primeira escola para a oração(…) é a Palavra de Deus,a Sagrada Escritura.A Sagrada Escritura é um permanente diálogo entre Deus e o homem,um diálogo progressivo no qual Deus se mostra sempre mais próximo,no qual podemos conhecer sempre melhor a sua face,a sua voz,o seu ser; e o homem aprende a aceitar conhecer a Deus ,a falar com Deus”.(Bento XVI,Audiência Geral do dia 26/09/2012).

Portanto queridos irmãos e irmãs,a nossa missão se fortalece mais quando temos que ser chamados a entrar na alegria do Evangelho,anunciar a Boa Nova de Jesus Cristo,no seu contexto de uma vida totalmente completa a todo instante e a todo caminho,porque na vida renovando em cristo,”Sou eu,mas não vivo é Cristo que vive em mim” (cf.Gl 2,20).Com essas palavras do Apostolo São Paulo,podemos dizer que a alegria de viver em Cristo Jesus é estar presente em nossas vidas,sendo assim “Movido pela fé,conduzido pelo Espírito do Senhor que enche o orbe da terra,o Povo de Deus esforça-se por discernir nos acontecimentos,nas exigências e nas aspirações de nossos tempos,em que participa com outros homens,quais sejam os sinais verdadeiros da presença ou dos desígnios de Deus”.(Concílio Ecumênico Vaticano II,Constituição Pastoral Gaudium et Spes,n.11).Assim irmãos,podemos destacar que a Alegria do Evangelho seja um exemplo de vida para nós no dia de hoje,renovando sempre o nosso compromisso como discípulos missionários de nosso Senhor Jesus Cristo.O Documento de Aparecida,esclarece para nós essa citação: “Uma autêntica proposta de encontro com Jesus Cristo deve estabelecer-se sobre o sólido fundamento da Trindade-Amor.A experiência de um Deus uno e trino,que é unidade e comunhão inseparável,permite-nos superar o egoísmo para nos encontrarmos plenamente no serviço ao outro.A experiência batismal é o ponto de início de toda a espiritualidade cristã que se funda na Trindade”.(DAp 240).

Que Deus nosso Senhor,nos ilumine nessa caminhada,como consagrados e consagradas de Deus,somos chamados a dar um passo pela frente,anunciando a Boa Nova do Evangelho,e também experimentar a vivência da Alegria do Evangelho,esse é o nosso objetivo de levar o Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo trilhando nos caminhos da evangelização rumo a uma renovação em nossas Igrejas.Deus os abençoe a cada um que está presente no nosso meio.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo,Para sempre seja louvado!

Joseph Charles D´Almada Batista

Fraternidade Pequena Via

Comunidade de Aliança Campos dos Goytacazes,RJ

Festa da Apresentação do Senhor

02 de Fevereiro de 2014.


Deixe um comentário

Brasileiro é novo presidente da Fraternidade Católica Internacional

Gilberto Gomes Barbosa, fundador da Comunidade Obra de Maria, foi eleito, nesta quarta-feira, 30, para presidente daCatholic Fraternity (em português, Fraternidade Católica). Trata-se de um organismo criado pelo Pontifício Conselho para os Leigos, em novembro de 1990, com o objetivo de integrar as Novas Comunidades ligadas à Renovação Carismática Católica (RCC).

Até então, a função era ocupada pelo italiano Matteo Calisi, que dirigiu o organismo por cerca de 21 anos. A eleição ocorreu em um encontro realizado em Assis, na Itália, desde a última segunda-feira, 28. Cerca de 150 líderes das Novas Comunidades, aprovadas pela Santa Sé, participaram do evento, que terminou ontem.

Gilberto falou que, ao perceber a possibilidade de ser eleito presidente, começou a refletir durante os três dias sobre dar um “sim” ou “não”. “E num momento de adoração, logo pela manhã, eu estava lendo o Magnificat (cf. Lc 1,46-55) e disse o meu “sim”. E as coisas foram acontecendo, conforme a vontade de Deus”.

O recém-eleito comparou seus sentimentos aos da Virgem Maria, que, ao ser convidada pelo Anjo para ser a “Mãe do Filho de Deus”, se sentiu pequena. “Eu sei que é uma comparação bem diferente, mas, ao mesmo tempo, é dessa forma que eu me sinto: tão pequeno, diante de uma grandeza de comunidades, que hoje representam mais de cem países”, destacou.

Sobre os trabalhos que pretende realizar à frente da Fraternidade Católica, Gilberto afirmou que, primeiramente, será feita uma releitura de todo o trabalho da fraternidade nesses 23 anos. Porém, sempre com um olhar atual para o momento que a Igreja vive hoje e também em “espírito de escuta”.

“Escuta de Deus, escuta da Igreja, escuta dos principais líderes internacionais. Quero, junto com eles, fazer esse tempo novo, voltado principalmente para a comunhão com a Renovação Carismática Internacional, mostrar que somos uma só corrente de graça, uma só Renovação Carismática. E realmente abraçar a nossa identidade, que é levar o batismo no Espírito Santo a todos os continentes”, disse.

Participaram também do encontro os cofundadores da Comunidade Canção Nova, Wellington Silva Jardim e Luzia Santiago, juntamente com outros líderes de comunidades brasileiras.

A eleição para presidente é realizada a cada três anos, porém, a partir de agora, o presidente poderá ser reeleito no máximo três vezes.

Sobre Gilberto Gomes 

Nasceu no dia 12 de abril de 1968, no município de Surubim, num lugarejo chamado Boca de Dois Rios, em Pernambuco.

Em 1983, morou com um parente em Recife e, em 1985, teve o primeiro contato com a Renovação Carismática Católica (RCC). Casou-se com Alzira Maria (Zizi) em 10/02/1990 e tem três filhas: Débora, Daniele e Maria Raquel.

É formado em Filosofia e Teologia pela Escola Teológica do Mosteiro de São Bento em Olinda (PE), psicanalista clínico e pós-graduado em Psicanálise.

Fundou a Comunidade Obra de Maria em 1991, juntamente com Maria Salomé Ventura. Atualmente a comunidade está presente em mais de 28 cidades do Brasil e em onze países.


Deixe um comentário

Brasil tem cerca de 800 Novas Comunidades

Os movimentos eclesiais e as novas comunidades constituem, na Igreja, uma grande força para a evangelização neste tempo.” A afirmação está na Exortação Apostólica Pós-Sinodal Verbum Domini (n. 94), do Papa emérito Bento XVI. O número desses movimentos e comunidades não para de crescer. Somente na Igreja aqui no Brasil, 800 novas comunidades têm desenvolvido formas diferentes de anunciar o Evangelho. As novas comunidades são o tema do Canção Nova em Foco desta semana, em que o jornalista da Canção Nova, André Alves, conversa com o presidente da FRATER (Fraternidade Internacional das Novas Comunidades), e fundador da Comunidade Obra de Maria, Gilberto Gomes Barbosa.

Acesse .: Ouça entrevista na íntegra 

Essas comunidades novas são acompanhadas tanto pela Igreja local, como por um Conselho de Comunidades. “Aqui no Brasil temos 28 comunidades que fazem parte oficialmente do Conselho e junto com elas, como equipe, a gente acompanha, visita e orienta,”conta Gilberto.

A nível internacional existe a Catholic Fraternity, “ poderíamos dizer a sede, o coração dessas comunidades novas espalhadas por todos os continentes.” A sede da Catholic Fraternity fica no Vaticano, seu presidente é o professor italiano Matteo Calisi, leigo e fundador da Comunità di Gesù (Comunidade de Jesus), que tem um trabalho dedicado ao ecumenismo. “ Depois tem a distribuição por continente, cada continente tem o responsável local”, continua Gilberto.

Na entrevista, Gilberto Gomes, fala sobre o crescimento do diálogo com a CNBB, (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e sobre o Concílio Vaticano II. Os frutos que o Concílio tem proporcionado às novas comunidades e movimentos, foram abordados em um Seminário que aconteceu de 23 a 26 de agosto, em Lavrinhas (SP), e reuniu representantes das novas comunidades e da CNBB.

O fascínio que essas novas comunidades exercem sobre os jovens também foi abordado na entrevista. “ Juventude é o tempo da descoberta, é o tempo que estamos querendo decidir sobre o nosso futuro, com que queremos casar, que curso queremos fazer, então é o tempo que vamos decidir também a questão da fé.”


Deixe um comentário

Unidos de Coração-Tema do Congresso nacional da Fraternidade das Novas Comunidades

images

Comunidade Canção Nova convida você para participar do Congresso Nacional da Fraternidade, entre os dias 08 a 10 de novembro de 2013, em sua sede, na cidade de Cachoeira Paulista (SP).

Com o tema “Unidos de coração”, o encontro tem como objetivo reunir várias comunidades que surgem no mundo todo, unir esses diferentes carismas, suas experiência de fraternidade e evangelização. As novas comunidades são reconhecidas pela Igreja como um dos instrumentos importantes enviado por Deus para o anúncio de Sua Palavra, testemunhando a veracidade do Evangelho. “Cada uma das comunidades faz uma experiência de fraternidade, uma contribuição reconhecida pela Igreja para que a Boa Nova do Evangelho seja não só anunciada, mas vivenciada”, diz Dom Alberto Taveira. As Novas Comunidades são verdadeiros canais privilegiados para a formação e promoção dos fiéis católicos, que se tornam mais ativos e conscientes do seu papel na Igreja e no mundo. Elas amam profundamente a Igreja, inserindo-se com fidelidade na vida das Igrejas locais, sendo fermento, sal e luz e,correspondendo às necessidades da nova evangelização.

“Nascemos para evangelizar”

As Novas Comunidades são verdadeiros canais privilegiados para a formação e promoção dos fiéis católicos, que se tornam mais ativos e conscientes do seu papel na Igreja e no mundo. Elas amam profundamente a Igreja, inserindo-se com fidelidade na vida das Igrejas locais, sendo fermento, sal e luz e,correspondendo às necessidades da nova evangelização.

O cancaonova.com entrevistou a missionária da Comunidade Católica Shalom Luciana Brum que falou sobre o carisma da comunidade e sobre a sua vocação a vivência em uma nova comunidade:

cancaonova.com: Fale sobre o Carisma Shalom, como se dá a evangelização/missão?

Missionária: Há 31 anos, Moisés nosso fundador ofertou aos pés de João Paulo II livremente a sua vida pela Igreja, pelos jovens e pelos homens. Nascemos para evangelizar, nossa missão é a evangelização de todos os homens. Anunciamos Jesus Cristo o ressuscitado que passou pela Cruz, como a experiência dos discípulos narrado no evangelho de São João.

Luciana Brum, missionária da Comunidade Shalom
Foto: Maria Andre/cancaonova.com


Nós experimentamos a paz que recebemos e Deus e a comunicamos. Somos uma família, constituídos de homens mulheres, solteiros casais, sacerdotes, seminaristas diáconos e celibatários para o Reino, todos unidos em uma consagração de vida. Testemunhando no mundo de hoje Jesus Cristo verdadeira paz. Nascida no meio dos jovens dedicamos à eles um amor especial. Nossa evangelização se da de varias formas pelas artes, meios de comunicação, trabalhos de promoção humana, etc…

Nós constituímos nas dimensões de comunidade de vida e aliança.

:: Brasil tem mais de 800 Novas Comunidades

cancaonova.com: Para você, qual a importância das Novas Comunidades para a Igreja?

Missionária:
 As novas comunidades trazem para a Igreja um novo ardor atendendo o apelo feito por João Paulo II, na vivência radical fiel e feliz do evangelho. No mundo de hoje, o testemunho da vida nova em Cristo no seio da igreja são inspiradas pelo Espirito Santo em uma forma nova de evangelização tornado viva a fé católica . O anúncio explicito de Jesus Cristo em uma Igreja Viva em diversos carismas que tem como missão a evangelização que se dá pelas artes, trabalhos sociais e principalmente pelos meios de comunicação. Em unidade, as Novas Comunidades quer levar aos homens de hoje esta nova primavera, como nos chamou João Paulo II.

cancaonova.com: O que mudou em você depois que entrou para uma Nova Comunidade?

Missionária: Fui alcançada pela evangelização de uma nova comunidade durante um tempo caminho na Comunidade Canção Nova. Desejei ardentemente doar a minha vida em um novo, logo conheci a Comunidade Shalom, vontade de Deus para mim. Onde pude na vivência do carisma experimentar este novo ardor da Igreja. Senti a força do Espirito que me impelida à evangelização na doação da minha vida em todos os meus dias pela humanidade, à serviço da Igreja. Quero anunciar Jesus Cristo Ressuscitado, verdadeira paz, contando com o auxílio da Virgem Maria Mãe de Deus, que me ensina a cada dia a corresponder ao meu chamado.


Fazendo memória (maio/2012): “Reconhecimento Pontifício da Comunidade Shalom”



cancaonova.com: O que esperar das Novas Comunidades no Brasil?

Missionária: A dedicação à evangelização dos homens, mulheres, jovens enfim de toda a humanidade. Espero e desejo que pela graça dada às novas comunidades Vivamos próprias no anuncio de Cristo. Na fidelidade ao chamado nos feito, trabalhando em unidade nesta força evangelizadora na missão do anuncio do reino.

cancaonova.com: Deixe uma mensagem para aqueles que estão interessados em fazer a experiência de viver em uma nova comunidade:

Missionária: Deus é sempre fiel em suas promessas, ao nos chamar nos resgata de uma vida sem Ele. A partir daí damos uma resposta de gratidão, sendo sua vontade nossa felicidade. Não tenhamos medo de dar, através da evangelização, aquele que nos ama com amor eterno nosso sim nessa missão de devolver a Deus aqueles que se perderam, pois ” humanidade geme e chora esperando a manifestação dos filhos de Deus” Rm 8, 19-22.

Veja mais:
:: Quais a importância das Novas Comunidades?
:: Dom Roberto comenta sobre a nova evangelização
:: O lugar das Novas Comunidades na Igreja


1 comentário

Mensagem ao dia da Vocação à Vida Consagrada 2013

  MENSAGEM DEDICADA A VOCAÇÃO À VIDA CONSAGRADA 2013

 Vocação,Um desafio de Amor-“Eu farei de vós,pescadores de homens” (Mt 4,19)

 Caríssimos irmãos e irmãs,

queridos religiosos e religiosas,membros dos Movimentos Eclesiais e Novas Comunidades,queridos leigos e leigas

 Estamos celebrando nesse ano de 2013,a vocação à Vida Consagrada com o tema Vocação,um desafio de Amor-“Eu farei de vós,pescadores de homens” (cf.Mt 4,19).Ao refletir sobre esse tema dedicado a Vocação à Vida Consagrada,é necessário que todos nós somos chamados a vocação.A vocação à Vida Consagrada é dedicada na festa da Solenidade da Assunção de Nossa Senhora.Como podemos ver,Maria é a estrela da nova evangelização,transmitindo a fé cristã a todo o povo de Deus.O Bem-Aventurado João Paulo II,na sua Exortação Apostólica Christifideles Laici,nos faz o convite importante para todos nós dizendo que “A responsabilidade em professar a fé católica,acolhendo e proclamando a verdade sobre Cristo,sobre a Igreja e sobre o home,em obediência ao magistério da Igreja,que autenticamente a interpreta”.(ChL 30).

Eis aqui alguns elementos para a nossa vocação:

1-Vocação

A vocação é um chamado de Deus para que a missão na qual Jesus nos envia para a missão é fundamental que a ação missionária seja de fato,como nos ensina o Documento de Aparecida que nos chama a um convite importante na qual “A vocação ao discipulado missionário é con-vocação à comunhão em sua Igreja.Não há discipulado sem comunhão”. (cf.DAp 156).O caminho de se tornar em comunhão de seguir a Cristo,basta renunciar tudo aquilo o que o mundo oferece na terra,mas é preciso renunciar-se a si mesmo tomar a sua cruz e seguir a Jesus Cristo nosso Senhor (cf.Mc 8,34).Pois a vocação nos leva a um caminho de viver a santidade,levando com amor o desafio de levar sempre em nossas vidas trazendo sempre o caminho de levar a evangelização na nossa Igreja

2-Desafios pastorais

O Papa Francisco,nos encoraja a  caminhar a transformar a nossa fé,e durante o seu discurso aos jovens na festa da acolhida aos jovens,na preparação da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro,onde ele nos diz: “Bote fé,bote esperança,bote amor!” (Papa Francisco,Saudação aos jovens na festa de acolhida durante a Jornada Mundial da Juventude,o texto desse discurso está no blog Nova Evangelização).Continuando,os desafios pastorais são a nossa autêntica forma de levarmos o anúncio do Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo a todas as nações,e todas as pessoas que necessitam serem chamados a viver esse encontro com o Senhor (cf.Mt 28,19;Mc 16,15).O nosso desafio é transformar uma vida cristã renovando sempre em nossas vidas.

3-Vida Consagrada  

Outro elemento a ser tratado nessa mensagem é a Vida Consagrada é a originalidade dos Movimentos e das Novas Comunidades,de acordo com as palavras do Papa emérito Bento XVI,ele nos escreve que os Movimentos e as Novas Comunidades “são como irrupções do Espírito Santo na Igreja e na sociedade contemporânea”.(Bento XVI,Discurso aos membros da Renovação Carismática Católica,31 de Outubro de 2008).O desafio da Vida Consagrada,traz em si,o caminho de sermos chamados a viver a vocação ao serviço da Igreja,trabalhando com fidelidade ao amor a Jesus Cristo nosso Senhor.

Que a nossa caminhada na fé em Jesus Cristo,sempre temos a graça de caminhar na fé renovando em nossos corações,uma força e renovar a simples comunhão com Deus,levando sempre ao caminho de uma fé renova sempre em nossa vocação,tanto que é completo a nossa plenitude ao plano de salvação na nossa fé,e portanto dizia o Apóstolo São Paulo: “porque gratuitamente  fostes salvos pela fé” (cf.Ef 2,8a).E pela fé é que somos salvos a todo instante e lembrando também a Carta aos Hebreus que nos envia a sua mensagem pastoral onde nós “Não somos de perder o ânimo e sim o somos de manter a fé” (cf.Hb 10,39s).Que Maria Santíssima,na qual festejamos a sua solenidade da Assunção de Nossa Senhora,possamos elevar a nossa devoção mariana,ao que cada um de nós estejamos sempre atento a fé e sermos firme a Cristo Jesus.Que Deus os abençoe nessa caminhada da missão que possamos ser chamados a viver a experiência de fé e de honestidade.Assim seja Amém!

Joseph Charles D´Almada Batista

Fraternidade Pequena Via-Comunidade de Aliança,Diocese de Campos dos Goytacazes,RJ

Festa da Solenidade da Assunção de Nossa Senhora,15 de agosto de 2013.                                                                                                                                                                           

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.515 outros seguidores