Vivendo a misericórdia em comunidade

“Portanto,como eleitos de Deus,santos e amados,vesti-vos com sentimentos de compaixão,com bondade,humildade,mansidão,paciência; suportai-vos uns aos outros e, se um tiver motivo de queixar contra o outro,perdoai-vos mutuamente.Como o Senhor vos perdoou,fazei assim também vós.” (Col 3,12-13).

Queridos irmãos e irmãs.das Novas Comunidades,conforme eu prometi escrever aqui no Blog das Novas Comunidades,um artigo sobre o tema “Vivendo a misericórdia em comunidade”,tema central do Encontro Diocesano das Novas Comunidades da Diocese de Campos,RJ.A Palavra de Deus escrita na Carta de São Paulo aos Colossenses,descreve esse importante caminho,como devemos viver a misericórdia em nossas comunidades.A pregação desse tema,feita pelo sacerdote da Comunidade Canção Nova,Padre Reinaldo,nos motivou como podemos experimentar essa graça da misericórdia de Deus,estamos no Ano Santo da Misericórdia,no qual,o Papa Francisco,convoca a todos nós a celebrarmos esse momento importante para nós.Aqui está o nosso desafio.

É muito mais que um sentimento.Deus por entranhas por nós em misericórdia Sentimento,não salva,mas as entranhas sim. Misericórdia  acolhe-nos dentro da vida de Deus.Misericórdia é rebaixar.Como dizia o Papa Francisco “Misericórdia e missão estão juntas”.Precisamos nos questionar a misericórdia em comunidade para os outros irmãos que vem aos nossos encontros.A gente acolhe a pessoa como ela é.Como a misericórdia é dentro da comunidade? Vivo a misericórdia como vivo  os meus irmãos? “Para o outro máximo de misericórdia para o outro exigência” (Autor desconhecido).Nós acolhemos as fraquezas dos nossos irmãos de nossas comunidades? Precisamos ter dentro das comunidades a questão da misericórdia.É necessário ter entranhas para com o próximo.Temos que ter as entranhas.A misericórdia faz parte da conexão,é uma salvação para a vida do irmão.Misericórdia,não é passar a mão na cabeça.Deus sabe que estamos caindo,quando ele cai ele também tem as minhas entranhas de misericórdia.A vida em comunidade é ajudar à pessoa ser santa.Elas precisam ouvir se vão ficar na comunidade.

Cabe a nós lembrando que a misericórdia de Deus não exclui ninguém.Precisamos parar de viver da cultura.Desse jeito,ninguém entra,não tem vocação,o teu carisma é para salvar e não para destruir ás pessoas.Como estou vivendo a misericórdia na minha comunidade?

Os irmãos que são do mesmo carisma,nós precisamos viver e como podemos viver a misericórdia com o irmão.A missão,em primeiro lugar,acontece. A evangelização acontece porque seu irmão exite.A comunidade existe porque seus irmãos existem.A misericórdia é a mãe da bondade,humildade,paciente,e bondoso.Precisa corrigir e ter paciência com aquele que quer mudar,aquele que quer ser acolhido.Estar como suportes como o irmão está caindo.Temos que ter essa atitude de misericórdia para com os irmãos  que precisam de resgate,dizia Santo Agostinho: “Somos como vasos de argila”.Se a gente não vive a misericórdia, a comunidade quebra como um vaso.Nós precisamos com o coração abraçar e corrigir os erros do irmão.O perdão é para a comunidade é como um óleo e porta vai ficar macia.A não misericórdia,abre as rachaduras.A misericórdia atrai aos outros a pura vivência do carisma.A parcela na comunidade precisa começar por mim.

Por isso,queridos irmãos e irmãs,concluindo esse artigo,nós todos precisamos ser anunciadores da misericórdia do Pai,precisamos então,acolher o irmão,colocarmos em prática,a compaixão e a misericórdia para com o outro (cf.Lc 7,11-17),precisamos ter a misericórdia também para com o outro,portanto precisamos também entrar como misericordiosos como o Pai (cf.Misericordiae Vultus 14;Lc 6,36).Que esse artigo possa ajudar você a compreender o sentido de viver a misericórdia em comunidade.Deus seja louvado!

Joseph Charles D´Almada Batista,Comunidade de Aliança

Fraternidade Pequena Via,Campos dos Goytacazes,RJ

Anúncios

“Perseverar na oração” (At 1,14)

blog3

“Voltaram eles então para para Jerusalém do monte chamado das Oliveiras,que fica perto de Jerusalém,distante uma jornada de sábado.Tendo entrado no cenáculo,subiram ao quarto de cima,onde costumavam permanecer.Eram eles; Pedro e João,Tiago,filho de Alfeu,Simão,o Zelador,e Judas,irmão de Tiago.Todos eles perseveravam unanimemente na oração,juntamente com as mulheres,entre elas Maria,mãe de Jesus,e os irmãos deles.” (At 1,12-14).

Nesse final de semana a tv Canção Nova teve a graça de transmitir o Kairós das Novas Comunidades com o tema “Perseverar na Oração”,tema citado na Bíblia no Livro dos Atos dos Apóstolos é com gratidão que Deus tem feito para todos nós que somos membros das Novas Comunidades temos a graça de ter o verdadeiro caminho de sermos perseverantes na oração.Unidos juntamente com todos os consagrados e consagradas das Novas Comunidades no dia de hoje.Na primeira pregação do evento teve como o tema “Perseverar na oração através da Palavra” o fundador da Comunidade Face de Cristo Aluízio Nóbrega ele dizia na sua pregação que A misericórdia de Deus é a resposta dele por seu amor por nós.A nossa conversão ela só acontece na oração e ali ele fez uma pergunta para cada um de nós,pra você quem é Jesus?

Já na segunda pregação,o fundador da Comunidade Doce Mãe de Deus Inaldo Alexandre pregava sobre o tema “Celebrando o dom de Deus”.Nessa pregação ele fala com muita clareza sobre as Novas Comunidades onde ali ele explicava que todos estavam no Cenáculo e todos estavam machucados e estavam aguardando a espera desse momento da vinda do Espírito Santo nesse sentido é fundamental,que as Novas Comunidades estão sempre presentes em nossas vidas,no caminho mais profundo da nossa fé e da nossa responsabilidade,entretanto o caminho de fé está sempre no caminho da nossa oração,posso dizer que as Novas Comunidades fortalecem para nós a nossa celebração de nosso dom,o importante é sentir que o caminho de Deus está sempre em nossas vidas.

Por isso,o Documento de Aparecida afirma com clareza:

“Os movimentos e novas comunidades constituem valiosa contribuição na realização da Igreja  Particular.Por sua própria natureza,expressam a dimensão carismática da Igreja: “Na Igreja não há contraste ou contraposição entre a dimensão carismática,da qual os movimentos são expressão significativa,porque ambos  são igualmente essenciais para a constituição divina do Povo de Deus”.Na vida e ação evangelizadora da Igreja,constatamos que no mundo moderno devemos responder a novas situações e necessidades da vida cristã.” (DAp 311).

Portanto as Novas Comunidades precisam ser totalmente perseverantes na oração vivenciar totalmente o seu carisma clamando ao Espírito Santo para reavivar o carisma que está diante de cada um de nós nesse momento de fé,momento de oração e principalmente a formação.Novas Comunidades são as expressões que a Igreja Católica vive no momento importante para que os fiéis leigos são chamados a vivenciar segundo o Documento de João Paulo II a Exortação Apostólica Christifideles Laici no número 30,falando a respeito da Comunhão eclesial e especialmente o caminho de fé e de profunda comunhão com o Senhor,é estar presente na vida e na oração.

“As Novas Comunidades e os Movimentos Eclesiais são chamados a este caminho de Santidade.” (Inaldo Alexandre-Comunidade Doce Mãe de Deus).

A Oração é um verdadeiro dom de Deus em nossas vidas,esse caminho de santidade faz com que todos nós estejamos sempre atentos ao caminho da nossa fé,renovando sempre o caminho de perseverar na nossa fé é importante pedir ao Espírito Santo que nos traga esse dom de celebrar os nossos caminhos de celebrarmos o dom de Deus em nossas vidas.Mas,o importante para cada um de nós é viver a graça de sermos santos,viver essa experiência de ser membro de uma comunidade,trago agora aqui um testemunho que eu tenho a todos que estão lendo esse artigo nesse blog:

Em 2006 tive uma experiência profunda fazendo um retiro espiritual de carnaval na cidade de Varre-Sai,RJ,com a Comunidade Católica Missão Malaquias,eu nunca tinha feito um retiro assim antes,mas senti que Deus tem me chamado para voltar a sua Igreja naquele ano,pois eu tinha me afastado da Igreja desde 1996 pois em 1995 eu havia perdido meu irmão em um trágico acidente de carro na proximidade de São João da Barra,RJ,quando voltava para casa,mas nesse ano de 2006 pude voltar para a Igreja mas me senti muito aliviado por voltar a minha paróquia de origem a Paróquia do Sagrado Coração de Jesus aqui na Diocese de Campos dos Goytacazes,RJ.Tive a graça de participar muitas vezes dos retiros de carnaval e nunca mais parei de fazer e até hoje há mais de 7 anos estou fazendo esse retiro.Em 20 de abril de 2009,tive a graça de entrar na Pastoral da Acolhida na mesma paróquia,recebi a autorização para participar dessa pastoral,pude compreender que quando eu iniciei o meu ministério na Paróquia,pude então compreender que me senti renovado pelo Espírito Santo sentir esse exemplo de carisma que senti dentro de mim.

Agora no ano de 2008 tive a graça de ler o livro “Novas Comunidades Primavera da Igreja”.Nesse livro pude então ter a graça de conhecer melhor o trabalho das Novas Comunidades,quando eu li a apresentação feita pelo então Arcebispo de Palmas naquela época,Dom Alberto Taveira Corrêa,hoje Arcebispo de Belém do Pará,fiquei impressionado com esse texto,e pensei comigo mesmo em querer participar de alguma comunidade,pensava muito na Comunidade Canção Nova,ou na Comunidade Shalom,para vivenciar como leigo consagrado na Comunidade de Vida ou de Aliança,e o texto da apresentação desse livro me chamou a atenção:

“Amem profundamente a Igreja,insiram-se com fidelidade na vida das Igrejas locais e sejam,como base de todo o resto,capazes do amor recíproco,que faz os homens e as mulheres de nosso tempo nos reconhecer como verdadeiros discípulos de Cristo.Como não temos,por nós mesmos,tal força,que nos seja concedido o Espírito Santo,que é por si comunhão e unidade.” (Dom Alberto Taveira Corrêa).

Pois bem,com esse texto tive a graça de contemplar o que tinha tudo em comum quando eu tive a graça no ano de 2010 após o curso Nova Vida,curso promovido e realizado pela Escola de Evangelização Santo André aqui em Campos dos Goytacazes,RJ na sede da Comunidade Aliança Eterna,tive a oportunidade de estar presente nesse sentido de uma vida mais importante em minha vida de ingressar na Comunidade Católica Fraternidade Pequena Via,o carisma da comunidade tem como sua espiritualidade a Pequena Via de Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face.As Novas Comunidades para mim são as expressões em que pude então compreender o quanto fico admirado com o trabalho desse movimento importante para a minha vida.Portanto queridos irmãos e irmãs das Novas Comunidades,vamos dar essa experiência de fé e de perseverarmos na oração nos momentos em nossas vidas quando somos chamados a vivermos a santidade a todo instante em nossas vidas,que Deus sempre nos ajude a cada dia mais tornando mais o verdadeiro caminho de fé e de santidade.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo! Para sempre seja louvado!

Joseph Charles D´Almada Batista

Com.Fraternidade Pequena Via

Comunidade de Aliança-Campos,RJ

Deixai-vos amar por Ele e sereis testemunhas de que o mundo precisa

“Mas descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará força;e sereis minhas testemunhas em Jerusalém,em toda a Judeia e Samaria e até os confins do mundo.”  (At 1,8).

Quando eu vi essa frase gostaria de colocar em prática a minha experiência como membro de uma comunidade nova aqui na Diocese de Campos dos Goytacazes,RJ.No dia 06 de março de 2010,logo após ter feito o curso Nova Vida promovido pela Escola de Evangelização Santo André,no final do mês de fevereiro do mesmo ano,senti o chamado muito forte em minha vida para entrar em uma comunidade,antes eu iniciei o meu ministério na Pastoral da Acolhida na Paróquia do Sagrado Coração de Jesus,em Campos,RJ,em seguida pude então em 2010 ingressar na Comunidade Católica Fraternidade Pequena Via. No momento mais profundo que esse chamado a vida comunitária,estava lendo o livro “Novas Comunidades: Primavera da Igreja “,escrita pela Fraternidade das Novas Comunidades do Brasil.

Na apresentação do livro feita então pelo Arcebispo de Palmas (TO),esse livro foi escrito em 2008,Dom Alberto Taveira Corrêa,na época em 2008,ele disse esse seguinte texto:  “Amem profundamente a Igreja, insiram-se com fidelidade na vida das Igrejas locais e sejam,como base de todo o resto,capazes do amor recíproco,que faz os homens e as mulheres de nosso tempo nos reconhecer como verdadeiros discípulos de Cristo.Como não temos,por nós mesmos,tal força,que nos seja concedido o Espírito Santo,que é por si comunhão e unidade.” (Texto extraído do livro Novas Comunidades: Primavera da Igreja ).

No caminho mais profundo em que as Novas Comunidades tem o dom de experimentar no coração o quanto que todos nós sabemos em viver essa experiência de estar em uma comunidade,é a partir daí que se começa um novo caminho de uma evangelização,aprendendo e compreender melhor no coração de Deus é uma nova realidade que vivo dentro da Igreja.Tive a experiência de estar participando dos retiros de carnaval de comunidades novas ligadas a Renovação Carismática Católica(RCC),dentre elas a Comunidade Católica Missão Malaquias (Diocese de Campos dos Goytacazes,RJ),desde 2006,e nesse momento estou nesse caminho de fé e de experiência  de experimentar o carisma do Espírito Santo que vem dentro de nossa alma.

As Novas Comunidades, também tem demonstrado o seu caminho de evangelização como comunidades carismáticas dentro da Igreja,é certo que as Novas Comunidades não se definem como território,mas é preciso fortalecer que a comunidade é um chamado vivenciado no coração de todos os caminhos em que todos nós estamos trazendo em nossas vidas.«Irmãos,seja permitido diversos com franqueza do patriarca Davi dizemos que morreu e foi sepultado,e o seu sepulcro está entre nós até o dia de hoje.Mas ele era profeta e sabia que Deus lhe havia jurado que um dos seus descendentes seria colocado no seu trono.Que toda a casa de Israel saiba,portanto,com a maior certeza de que Deus o constituiu Senhor e Cristo» (At 2,29-30;36).

Entretanto,as Novas Comunidades constituíram-se em que “A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma.” (cf.At 4,32),Durante esse momento de formação nós contribuímos com o nosso trabalho de levar em condições esse é o caminho de fé e de esperança em uma vida comunitária.Essa é a experiência de vida consagrada quando estamos vivendo essa experiência de uma nova realidade na Igreja para que possamos então transmitir o anúncio do Evangelho de Cristo,ou seja,dar testemunho de uma história marcante na vida da comunidade essa é uma forma dedicada no coração de uma inspiração de um conceito de uma resposta que vem do alto,em breve abordarei sobre o tema: “A resposta do Alto: Novas Comunidades Carismáticas”,quero colocar em prática aqui o que devemos entender sobre a nossa consciência e vivenciar totalmente a comunhão e a unidade na Igreja,a missão na vida comunitária é trazer com que as Novas Comunidades tragam para si,o significado do seu carisma,mas é preciso também fortalecer no coração esse processo de uma vida completamente em uma vida espiritual em sua vivência na comunidade.

“Com a formação de comunidades autênticas e vivas,o mundo verá nova face da Igreja.Uma nova vida de comunhão pode ser carregada de um novo dinamismo,no qual a Igreja se torna fermento e alma,ao espalhar a fraternidade e a vida trini´taria em todos os campos da vida da humanidade.” (Dom Alberto Taveira Corrêa,apresentação do Livro ‘Novas Comunidades: Primavera da Igreja).

O trabalho das Novas Comunidades,é trazer em vão todo esse carisma de um dom verdadeiro carisma em que todos nós experimentamos esse novo ardor de viver essa missão na vida comunitária.Vamos então pedir ao Senhor,que nos traga esse testemunho de uma fé e renovada forma de que as NC seja de fato,resposta providencial do Espírito Santo,essa é a resposta que devemos buscar a cada dia mais para transmitir a fé cristã,assumindo o compromisso de uma vida nova na Igreja,essa é a realidade que devemos fundamentar a esses exemplos de uma vida nova.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo! Para sempre seja louvado!

Joseph Charles D´Almada Batista

Comunidade Fraternidade Pequena Via

Novas Comunidades: O que são?

Amados irmãos e irmãs, que alegria falar desse tema visto como a Primavera da Igreja, segundo nosso amado Beato Papa João Paulo II. Muito, mas muito mesmo, poderia ser escrito aqui sobre as Novas Comunidades (NC) diante de uma riqueza de documentos da Igreja, reportagens, testemunhos, formações e informações acerca das mesmas…
“Os movimentos eclesiais e as novas comunidades são uma das novidades mais importantes suscitadas pelo Espírito Santo à Igreja pela atuação do Concílio Vaticano II. Paulo VI e João Paulo II souberam acolher e discernir, encorajar e promover o surgimento das novas realidades de leigos que, em formas variadas e surpreendentes, voltavam a dar vitalidade, fé e esperança a toda a Igreja. De fato, já então davam testemunho da alegria, da racionalidade e da beleza de ser cristãos, mostrando-se gratos por pertencer ao mistério de comunhão que é a Igreja. Assistimos ao despertar de um impulso missionário vigoroso, movido pelo desejo de comunicar a todos a preciosa experiência do encontro com Cristo, sentida e vivida como a única resposta adequada à profunda sede de verdade e de felicidade do coração humano.” 1
O Espírito de Deus que sempre orientou e sustentou toda a história da Igreja, suscita nos tempos de hoje novas formas de consagração e vida evangélica. As NC são, por um desígnio da divina providência, uma resposta para as necessidades da Igreja e do mundo de hoje. De acordo com Dom Alberto Taveira, arcebispo de Belém (PA) e conselheiro espiritual da Fraternidade Católica, a Igreja acolhe, aceita e está de braços abertos às Novas Comunidades, acreditando que elas nasceram do Espírito Santo, que produzem muitos frutos, que são um presente para a Igreja sendo sinal de uma nova época missionária para ela.
 
O carisma, espiritualidade e missão de cada Comunidade são únicos; e já são inúmeros os carismas suscitados no nosso meio. Só no Brasil já são centenas dessas Comunidades; algumas de vida; outras de aliança; e muitas com as duas opções. Algumas NC se dedicam a recuperar jovens drogados e viciados no álcool; outras se dedicam aos mendigos e abandonados; outras à evangelização pelos meios de comunicação; outras ao resgate do ser humano na sua totalidade, etc.
Nas NC, Jesus é amado, servido e adorado verdadeiramente como Senhor e Salvador; a hierarquia da Igreja é amada, a sua necessidade é entendida e trabalha-se em comunhão com ela; resgata-se a vivência do Cristianismo puro, observando toda a riqueza da nossa fé católica (como a recitação do Terço, Rosário); a SantíssimaVirgem Maria é venerada com todas as honras a que tem direito como Mãe de Deus; os jovens são evangelizados com ardor, a n lhes é apresentada como uma fonte de vida, os casais são chamados a viver a fidelidade a Deus e ao cônjuge; osSacramentos são vividos com toda a intensidade e plenitude, sobretudo a Confissão e a Eucaristia; a Adoração ao Santíssimo Sacramento é realizada e desejada; enfim,inúmeros frutos podem ser vistos a partir da vivência dos membros das NC.
Pode-se dizer, que é a partir de grupos carismáticos de oração comprometidos que, de acordo com a vontade de Deus poderão surgir NC. Seria um grave erro pensar que uma comunidade carismática é um estágio superior ao grupo de oração, ao qual todo grupo de oração deve chegar. Pode haver bons grupos carismáticos de oração comprometidos que nunca chegarão a ser uma comunidade carismática simplesmente por não ser esta a vontade de Deus a seu respeito.
Resumindo, praticamente não há hoje uma diocese no Brasil e no mundo que não se beneficie do bom trabalho das NC que estão a serviço da evangelização. Com isso, multiplicam-se as rádios católicas, jornais, revistas, retiros, acampamentos, shows, aprofundamentos, trazendo o povo de Deus de volta para a Igreja. As NC estão ajudando a Igreja a devolver a Deus aqueles que estavam perdidos”.

A graça dos Carismas

“O carisma autêntico trará sempre uma dose genuína de novidade na vida espiritual da Igreja,com operosidade peculiar e reveladora de fidelidade ao Senhor e de docilidade ao Espírito Santo.Essa autenticidade e essa eclesialidade se verificam à medida que a vivência do carisma se torna força e fecundidade para a ação evangelizadora na Igreja particular em que o movimento eclesial e a nova comunidade se inserem.” (Subsídio Doutrinal 3 da CNBB,nº 60).

Quando falamos a respeito dos Carismas nas Novas Comunidades,é necessário que todos nós tenhamos um dom que vem do Espírito Santo sobre cada um de nós,por exemplo é uma nova forma que a Igreja deseja para que os leigos e leigas,estejam engajados nessa missão importante que somos chamados a vivenciar a graça do carisma na comunidade.No livro “Comunidade,Lugar do perdão e da Festa” de Jean Vanier nos afirma: “Cada nova comunidade é suscitada por Deus,o qual inspira um homem ou uma mulher,ou mesmo um grupo de pessoas,a dar resposta a um grito ou a uma necessidade específica da humanidade,em um momento particular da história.” (cf.”Comunidade,Lugar do perdão e da Festa”,pg.110).

Uma nova forma que a Comunidade nova sempre trata da questão dos carismas que vem do Espírito Santo,São Paulo na Primeira Carta aos Coríntios nos fala a respeito da diversidades e dons dos carismas vividos nas Comunidades Novas (cf.1Cor 12,4-11),é uma referência que as Comunidades novas sempre aborda a respeito da chamada Teologia dos Carismas,é necessário que as Novas Comunidades,façam com que esse ardor da Igreja,eu sempre  tenho uma grande vontade de compreender melhor as atividades feitas pelas Novas Comunidades,no entanto a graça dos carismas é preparada para que os leigos e leigas se façam presentes no coração de cada pessoa,o seu chamado para uma nova forma de vida consagrada é o que nos incentiva o saudoso Papa João Paulo II na Exortação Apostólica Vita Consecrata que nos fala da originalidade das Novas Comunidades (cf.VC 62). O objetivo das Novas Comunidades, tem uma série de formações sobre a respeito dos carismas,entretanto,a formação da consciência moral dentro das Novas Comunidades.“As comunidades devem ser realmente fraternas,de tal forma que a igual dignidade de todos os fiéis seja evidenciada e seja estimulada a participação ativa de todos.” (Doc.CNBB 62,116).Portanto,as Novas Comunidades deverão ser fraternas,vivendo totalmente a comunhão eclesial viver uma comunhão fraterna dentro da Igreja.Experimentando o dom dos carismas e as diversidades de um exemplo de uma nova forma de contemplar o verdadeiro caminho da evangelização nas Novas Comunidade.Deus seja louvado! Assim seja.

Joseph Charles D´Almada Batista

Comunidade Fraternidade Pequena Via