Novas Comunidades:Uma Escola de formação

Apresentação:

Querido irmão e querida irmã,a partir desse momento,estarei escrevendo temas relacionados as Novas Comunidades em prol da Evangelização em que a Igreja,irá celebrar a Abertura do Ano da Fé que será iniciada em outubro de 2012 e vai se estender até novembro de 2013,o Papa Bento XVI,pede a todos que “Devemos readquirir o gosto de nos alimentarmos da Palavra de Deus,transmitida fielmente pela Igreja,e o Pão da vida,oferecidos como sustento de quantos são seus discípulos (cf.Jo 6,51).” (cf.Porta Fidei 3).

Ao celebrarmos os 50 anos da abertura do Concílio Vaticano II,e os 20 anos da publicação do Catecismo da Igreja Católica,sugerimos que a Fé possa ser transmitida pelos cristãos assumindo o caminho de se tornar discípulo e missionário.Pois a missão favorece aos cristãos a perfeição de uma caminhada de projeto de formação para os membros das Novas Comunidades.Entretanto:

                                                      Os fiéis têm o direito de fundar e dirigir livrimente associações para fiéis de caridade e piedade,ou para       favorecer a vocação cristã no mundo,e de se reunir para a consecução comum dessas finalidades.Todos os fiéis,já que participam da missão da Igreja,têm o direito de promover e sustentar a atividade apostólica,segundo o próprio estado e condição,também com iniciativas próprias;nenhuma iniciativa,porém,revidique oara si o nome de católica,a não ser com o consentimento da autoridade eclesiástica competente. ¹

O desempenho das Novas Comunidades se tornarem uma nova agregação,podemos garantir que as NC e os NME,são intensificados a viverem a vida fraterna quando começarmos a entender esse objetivo de uma missão importante para todos os membros.A seguir esse objetivo temos o encontro de formação que todos nós empenharmos no trabalho de evangelização.“A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma.Ninguém considerava suas coisas que possuía,mas entre eles era posto em comum.” ²

Assim as Novas Comunidades surgem de fato para dar um passo para que a evangelização chegue até as pessoas e principalmente os fiéis leigos que querem ter um chamado próprio para a Vocação Cristã.Mas afinal,o que significa Vocação? A resposta é simples:

A vocação (do latim vocatio,ação de chamar) supõe o encontro de duas liberdades:a liberdade absoluta de Deus,que chama,e a liberdade humana,que responde a este→chamado.O conceito interessa tanto à teologia quanto às ciências humanas.Em teologia,a vocação é inspiração ou moção interior pela qual Deus chama a pessoa a determinado estado ou forma de vida.³

Portanto,a vocação é de fato,um chamado para vários tipo de forma de vida,pode ser pela Vocação Sacerdotal,vocação para o Matrimõnio ,ou chamado a vida religiosa e/ou celibatário,entre outras formas de vida que o leigo poderá sentir esse chamado para a essas formas de vida.O que mais interessa em todos nós é que as Novas Comunidades,estão adaptadas para confirmar esse projeto de formação para com os seus membros,portanto,sabemos que as Comunidades Novas,se desempenham no caminho vocacional esse exemplo de concretizar,crescer na espiritualidade,portanto sabemos que no caminho da evangelização,temos a graça de conduzir esse caminho de fé e de salvação vivida na história da Igreja.As Novas Comunidades,têm a sua ampla formação sabendo conviver o caminho missionário que coloca em prática todo esse processo de formação,mas é preciso que os novatos,precisam trabalhar no processo do caminho vocacional se preparar para serem formados e como dizia Mons.Jonas Abib,fundador da Comunidade Canção Nova: “Formar homens novos para um mundo novo!”

A experiência de viver totalmente a vida em comunidade,traz no coração das pessoas o caminho de uma vida completa em nossas vidas,as Novas Comunidades,são chamadas para crescer totalmente a espiritualidade das pessoas que querem ingressar ativamente em uma comunidade.Sabemos que também a vida comunitária passa a viver intensamente a sua vocação através da formação,vivendo totalmente o amplo amor de evangelizar a todos.“Todavia,muitos que tinham ouvido a pregação abraçaram a fé,e os membros da comunidade chegaram a uns cinco mil.” (At 4,4).Portanto fica claro que nós queremos dar essa continuidade para mostrar o quanto que as Novas Comunidades sejam comunidades primitivas dentro da Igreja Católica Apostólica Romana.

_____________

¹Código do Direito Canônico,Cânones 215 e 216

² At 4,32

³ Dicionário Teológico da Vida Consagrada,Verbete Vocação,pp.1142-1143

Joseph Charles D´Almada Batista

Consagrado da Comunidade de Aliança

Fraternidade Pequena Via

Festa de São Maxiliano Kolbe

14 de Agosto de 2012

Vida Consagrada:Identidade e Missão

“A Vida Consagrada está ao serviço desta irradiação definitiva da glória divina,quando toda a criatura vir a salvação de Deus (cf.Lc 3,6; Is 40,5).O Oriente cristão sublinha esta dimensão,ao considerar os monges como anjos de Deus sobre a terra,que anunciam a renovação do mundo em Cristo.No Ocidente,o monaquismo é celebração feita de memória e vigília:memória das maravilhas realizadas por Deus,vigília do cumprimento definitivo da esperança”.(VC 27).

Amados irmãos e irmãs internautas,estamos celebrando nesse dia 02 de Fevereiro a Solenidade da Apresentação do Senhor,e também o Dia da Vida Consagrada.Essa semana,eu elaborei uma mensagem para esse dia,com o tema “Comunidade e Missão«Eles perseveravam na doutrina dos apóstolos»”(At 2,42).O momento de estarmos renovando o compromisso com a Comunidade de Vida ou de Aliança,nós somos chamados a dar um passo definitivo para que a evangelização produza em nós a Identidade,o Carisma e Missão.”Quer extraordinários quer simples e humildes,os carismas são graças do Espírito Santo que,direta ou indiretamente,têm uma utilidade eclesial,pois são ordenados à edificação da Igreja,ao bem dos homens e às necessidades do mundo.Os carismas devem ser acolhidos com reconhecimento por aquele que os recebe,mas também por todos os membros da Igreja,pois são uma maravilhosa riqueza de graça para a vitalidade apostólica e para a santidade de todo o Corpo de Cristo,contanto que se trate de dons que provenham verdadeiramente do Espírito Santo e que sejam exercidos de maneira plenamente conforme aos impulsos autênticos deste mesmo Espírito,isto é,segundo a caridade,verdadeira medida dos carismas”(CIC 799-800).

A partir daí,a Vida Consagrada é como uma busca renovada na Igreja,sendo que a Palavra de Deus surge em nosso meio um relato importante no verdadeiro carisma da Igreja,conforme nos ensina São Paulo que fala a respeito da diversidade entre dons e carismas vividos nas Novas Comunidades (cf.1Cor 12,4-11).A experiência que vamos viver é transformar uma vida nova para que sejamos transformados na fé e na esperança.“Eis que estou enviando o meu mensageiro para preparar o caminho à minha frente.E de repente chegará ao seu tempo o Senhor que vós estáveis procurando,o mensageiro da Aliança que estáveis desejando.Eis que ele chega-diz o Senhor dos exércitos.Quem poderá aguentar o dia de sua chegada? Quem ficará de pé quando ele aparecer?”.(cf.Mal 3,1-2).

O Carisma,a Identidade e Missão,tem a graça de proceder a nossa responsabilidade de levar em conta que“aos leigos e à vida consagrada a participarem de organismos ecumênicos com cuidadosa preparação e esmerado seguimento dos pastores,a realizarem ações conjuntas nos diversos campos da vida eclesial,pastoral e social.Na verdade,o contato ecumênico favorece a estima recíproca,convoca à escuta comum da palavra de Deus e chama à conversão aqueles que se declaram discípulos e missionários de Jesus Cristo.Esperamos que a promoção da unidade dos cristãos,assumida pelas Conferências Episcopais,se consolide e frutifique sob a luz do Espírito Santo”.(cf.DAp.232).

Imagine que somos chamados a experimentar esse caminho de fé e de esperança,no Batismo do Espírito Santo,sabendo que todos nós queremos afirmar esse diálogo da Vida Consagrada,promovendo o bem,promovendo a evangelizar os mais necessitados,por isso,basta ser consagrado a Deus para que sejamos adaptados a sermos evangelizados pela força do amor e da santidade,busquemos com toda essa expectativa na presença maior na vida de Deus,para isso sejamos consagrados,através das mãos do oleiro(cf.Jr 18,1-10).Que Deus possa nos dar essa experiência de fé e de realizações em nossa vida,a proposta de Deus é nos enviar para uma missão.Isso para nós é muito importante quando somos chamados para dar um novo ardor e experimentar essa graça de Deus sobre todos nós.Amém!

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo! Para sempre seja louvado!

Joseph Charles D´Almada Batista

Comunidade Católica Fraternidade Pequena Via

A VIDA CONSAGRADA, IMAGEM DO SEGUIMENTO DE CRISTO

Mensagem da Comissão Episcopal Italiana para a 16ª Jornada Mundial da Vida Consagrada

ROMA, segunda-feira, 16 de janeiro de 2012 (ZENIT.org) – “Fazemos um sincero agradecimento pelo testemunho evangélico e pelo serviço à Igreja e ao mundo oferecido por vocês, totalmente consagrados ao seguimento de Jesus Cristo”.

Assim começa a mensagem da Comissão Episcopal Italiana publicada em 6 de janeiro, festa da Epifania, para a 16ª Jornada Mundial da Vida Consagrada, que se celebra em 2 de fevereiro de 2012.

“A sua presença carismática e a sua dedicação nos momentos difíceis são uma graça do Senhor, um sinal profético que nunca é apreciado o suficiente”, escreve a CEI, pedindo ao clero e à vida consagrada que acolham “cordialmente as orientações pastorais que a Igreja na Itália definiu para esta década”.

O tema da jornada é “Educar para a vida santa do Evangelho”, um convite que implica “educar-se para a vida santa de Jesus”, como um presente e como um compromisso primário de qualquer pessoa que pretenda ser seu discípulo.

São mencionadas na mensagem as palavras de João Paulo II, que, no documento Vita consacrata, escreveu que a consagração da própria vida “é a memória viva do existir e do agir de Jesus como Verbo encarnado na relação com o Pai e com os outros”.

A comissão episcopal escreve que o proprium da vida consagrada é reproduzir a forma de vida que Jesus abraçou e ofereceu aos discípulos, uma evangelica vivendi forma, um testemunho fundamental para todas as outras formas de vida cristã, que esboça um caminho ideal “educativo, antropológico e evangélico”.

A partir desta perspectiva, os bispos italianos evocam quatro notas, demonstrando a “coerência de vida com a vocação específica” e, ao mesmo tempo, a “fecundidade de um processo assíduo de formação”.

A primeira nota indica “o primado de Deus”. Assumindo que o principal desafio do nosso tempo é a secularização “que leva à exclusão e à insignificância de Deus e que deixa o homem sozinho com a sua raiva e o seu desespero”, como é frequentemente enfatizado por Bento XVI, a CEI destaca a necessidade urgente de uma nova evangelização “que coloque no centro da existência humana o primeiro mandamento de Deus, a confissão da Trindade e a palavra da salvação”.

“Na medida em que vocês testemunham a beleza do amor de Deus nas suas vidas transformadas pela beleza da sua santidade, vocês espalham aquele ‘bom perfume divino’ que pode levar a humanidade à sua vocação fundamental: a comunhão com Deus, que todo homem deseja”.

O segundo ponto é a fraternidade universal, “sonho de Deus, o Pai de todos”, que tem como objetivo a missão de Cristo e dos discípulos de “reunir os filhos dispersos de Deus”, muito atual no presente cenário de conflitos “que deterioram as relações humanas”.

Citando novamente as palavras do papa João Paulo II (“Para apresentar ao mundo de hoje a sua verdadeira face, a Igreja tem necessidade urgente de comunidades fraternas que, pela sua própria existência, são uma contribuição para a nova evangelização”), os bispos exclamam: “Como é belo o testemunho de Igreja que pode ser oferecido às paróquias, às famílias e aos jovens pela fraternidade autêntica, capaz de respeito, de acolhimento e de apoio!”.

Um convite, portanto, às comunidades religiosas para serem escolas de fraternidade “que comprometem os seus membros a aprender ao longo da vida com as virtudes evangélicas: a humildade, o acolhimento dos pequenos e dos pobres, a correção fraterna, a oração em comum, o perdão mútuo, o compartilhar da fé, do afeto fraterno e dos bens materiais”, sinais de um amor que “sabe como abrir-se para a Igreja particular, para a Igreja universal e para o mundo”.

Segue-se a exortação, na terceira nota, sobre o zelo divino, sobre o modelo de Jesus e dos apóstolos, que, “num mundo apático, dominado pelos instintos e pelas paixões”, testemunharam o extraordinário poder que provém do Espírito Santo, “fogo que consome, sarça que arde e que queima, sem nunca ser consumida”.

O próprio Bento XVI, dirigindo-se no discurso de 22 de maio de 2006 aos superiores gerais dos institutos de vida consagrada e das sociedades de vida apostólica, disse: “Pertencer ao Senhor significa ser incendiados pelo seu amor ardente, ser transformados pelo esplendor da sua beleza, manter sempre ardente no coração uma chama viva de amor”.

É justo com a perda desse zelo que, de acordo com os bispos, devemos nos preocupar, e “não tanto com a diminuição do número de vocações”, mas com a “falta do fogo de amor que animava Jesus e os santos”, um pretexto para uma vida medíocre.

“Para a nova evangelização, à qual a Igreja é hoje chamada, são necessárias pessoas apaixonadas por Jesus e pela humanidade, sentinelas que saibam interceptar os horizontes da história, das quais Deus, mais uma vez, decidiu servir-se para cumprir o seu desígnio de amor”. Novos santos, portanto, principalmente na vida consagrada, “que é desde sempre um laboratório do novo humanismo, um cenáculo de cultura que enriqueceu a literatura, a arte, a música, a economia e a ciência”.

Um último pensamento sobre o qual os bispos refletem é o estilo de vida “de essencialidade, de generosidade e de hospitalidade”, como sugerido pela pobreza evangélica, e focado na castidade consagrada, que “ajuda a regenerar a sexualidade e a dar ordem e verdadeiro significado aos afetos, orientando-os para um amor fiel e fecundo”.

O incentivo final, antes da conclusão da mensagem e da invocação da bênção da Virgem Maria sobre os consagrados, como perfeita discípula e mestra gentil, os convida a viver o zelo divino tal como Jesus viveu, “com a constância e a confiança que venceram as resistências mais duras e superaram os preconceitos mais perversos, e com o amor misericordioso que o levou a entregar-se para todos. Se o Espírito de Jesus habita em nossos corações, nós também podemos fazer o que Ele fez”.

Acesse:

Mensagem em Ocasião ao Dia da Vida Consagrada com o tema “Comunidade e Missão-Eles Perseveravam na Doutrina dos Apóstolos” (At 2,42)

Podcast sobre as Novas Comunidades

http://podcast.cancaonova.com/cn_player.swf?4321

Olá Internauta,estou colocando aqui no Blog “Novas Comunidades-Primavera da Igreja”,alguns Podcasts em relação as Novas Comunidades.O primeiro Podcast dessa semana é da entrevista do Arcebispo de Belém,PA,Dom Alberto Taveira Corrêa,falando sobre as Novas Comunidades.Ouça atentamente esse Podcast.

Deus abençõe

Joseph Charles

Comunidade Fraternidade Pequena Via,Missão de Campos dos Goytacazes,RJ